Atvos

Comunicados – Recuperação Judicial

TESTE

Comunicado Imprensa - 19.05

São Paulo, 19 de maio de 2020. Em Assembleia Geral de Credores do processo de recuperação judicial do Grupo Atvos, realizada hoje, definiu-se que a deliberação do plano de recuperação judicial da empresa será retomada amanhã, 20 de maio de 2020, a partir das 11 horas, com identificação dos participantes a partir das 10 horas. A decisão foi aprovada pela maioria dos credores.

Dessa forma, a Atvos avança em mais uma etapa do processo de recuperação judicial que garantirá a continuidade de suas operações nos cinco polos agroindustriais que empregam mais de 10 mil pessoas e geram outros 30 mil empregos indiretos.

Comunicado - Imprensa 15.05

TESTE

Comunicado Imprensa - 08.05

TESTE

Comunicado Imprensa - 17.04

TESTE

Comunicado Imprensa - 26.03

São Paulo, 26 de março de 2020. A Assembleia Geral de Credores do processo de recuperação judicial do Grupo Atvos prevista para amanhã (27 de março), em São Paulo, foi remarcada para o dia 16 de abril de 2020, em local a ser divulgado. O adiamento ocorre em respeito às orientações das autoridades de saúde no combate à disseminação da Covid-19 (coronavírus).

Informações sobre o processo de recuperação judicial do Grupo Atvos podem ser acessadas no site www.atvos.com/a-empresa/recuperacao-judicial/.

Comunicado Imprensa - 28.01

TESTE

Atvos assegura operações e investimentos em plano de recuperação judicial
Estratégia tem como objetivo garantir crescimento e geração de 40 mil empregos diretos e indiretos

A Atvos, segunda maior produtora de etanol do país, protocolou, hoje, seu plano de recuperação judicial na Justiça do Estado de São Paulo. A proposta fortalece a estrutura de capital da empresa e viabiliza investimentos de R$ 1,1 bilhão por ano-safra. Dessa forma, as operações ficam asseguradas, bem como o compromisso com os mais de 10 mil empregados, suas famílias, comunidades, parceiros, fornecedores e clientes. Atualmente, a empresa é responsável por 10% do abastecimento de etanol do mercado brasileiro.

 

O plano apresentado especifica condições de pagamentos para diversas classes de credores. A prioridade são os créditos de fornecedores, essenciais para a operação com previsão de pagamento integral em seu valor nominal, além dos derivados da legislação trabalhista. As dívidas trabalhistas serão quitadas em até 12 meses. Em relação aos fornecedores e parceiros agrícolas, propõe-se que o pagamento seja realizado em até três anos.

 

Credores das classes de quirografários, microempresas e empresas de pequeno porte poderão optar pelo recebimento do seu crédito no prazo de 90 dias a partir da homologação do plano, no limite de R$ 50 mil.

 

A estratégia é desalavancar a Atvos por meio da transferência de parte da dívida das unidades operacionais, o que possibilitará reduzir de seis para menos de três vezes o valor da dívida líquida da empresa em relação ao seu EBITDA – mantendo este indicador nos patamares do setor. Essa realocação engloba os valores devidos às instituições financeiras que representam 92% do total da dívida.

 

O equilíbrio financeiro, que prevê um caixa mínimo consolidado de R$ 800 milhões, permitirá à empresa seguir com seu plano de negócios, ampliar os canaviais, reduzir a capacidade ociosa e aumentar a geração de caixa. Os recursos necessários para a reestruturação serão totalmente originados na operação.

 

O plano de recuperação judicial torna-se público hoje e, após o período de contestação e negociação, será submetido à aprovação pela Assembleia Geral de Credores e homologação pelo Poder Judiciário.

 

No documento, constam ainda os laudos econômico-financeiros e de avaliação patrimonial dos ativos da companhia. Informações sobre o processo de recuperação judicial da Atvos estão em nosso site, clicando aqui.

Carta aos credores

Prezados,

Caso você não tenha identificado eventual crédito detido contra o Grupo Atvos no quadro geral de credores, é importante que habilite referidos créditos no prazo legal.

A habilitação e/ou impugnações devem ser feitas diretamente para o Administrador Judicial nomeado pelo Juiz do processo de recuperação, pelo e-mail: aj_atvos@alvarezandmarsal.com.

*Comunicado enviado em 26/06
Atvos entra com pedido de recuperação judicial
Medida adotada tem como objetivo preservar a operação das unidades agroindustriais

A Atvos, segunda maior produtora de etanol do país, entrou hoje (29) com pedido de recuperação judicial na Justiça do Estado de São Paulo com o objetivo de preservar suas operações, garantir equilíbrio financeiro e, principalmente, reforçar seu compromisso com os mais de 10 mil empregados, suas famílias, comunidades, parceiros, fornecedores e clientes.

Este processo é resultado da investida hostil de um fundo internacional, credor da Atvos, que por meio de processo judicial colocou em risco as operações da empresa.

Ao utilizar essa medida legal, a Atvos viabiliza um ambiente seguro e estável para o equilíbrio de suas contas objetivando alcançar a sua capacidade máxima de produção nos próximos anos.

Ao longo dos seus mais de 11 anos de atuação, a Atvos se consolidou no setor sucroenergético e atualmente é responsável por 10% do abastecimento de etanol no mercado brasileiro. A empresa gera mais de 40 mil empregos diretos e indiretos em quatro estados brasileiros (São Paulo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Goiás). Na safra 19/20, possui expectativa de moer cerca de 27 milhões de toneladas de cana, suficientes para produzir 2,1 bilhões de litros de etanol, 237 mil toneladas de açúcar VHP e gerar 2,9 mil GWh de energia elétrica.

A empresa reforça sua visão de longo prazo no setor e pretende, com a recuperação judicial, seguir sua trajetória de crescimento, acelerando a execução dos planos de investimento na produção de energia limpa e sustentável.

Após o deferimento do pedido pelo Poder Judiciário, a Atvos tem 60 dias para apresentar a primeira versão do plano de recuperação judicial.

Teste

20 de maio de 2020 . A Atvos, entre as maiores produtoras de etanol do país, teve seu plano de recuperação judicial aprovado hoje em Assembleia Geral de Credores. O documento será levado a homologação do Poder Judiciário.

Última atualização em 27 de janeiro de 2021
Close